Please use this identifier to cite or link to this item: repositorio.unilab.edu.br/jspui/handle/123456789/1020
Title: Demandas em saúde de escolares com e sem deficiência em Redenção no Ceará
Authors: Nogueira, Talita da Silva
Keywords: Adolescentes
Promoção da Saúde
Pessoa com Deficiência
Issue Date: 2017
Citation: NOGUEIRA, T. S. (2017)
Abstract: A promoção da saúde é constituída por um conjunto de estratégias e formas de se produzir saúde. Com relação a promoção a saúde do adolescente, torna-se necessário compreender as suas demandas e necessidades afim de subsidiar estratégias de melhoria do cuidado envolvendo o protagonismo juvenil. O trabalho teve como objetivo geral identificar as principais demandas em saúde, de escolares com e sem deficiência, no município de Redenção, CE. O estudo caracteriza-se como exploratório, descritivo, com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados no período de fevereiro a março de 2017, com 113 adolescentes, dentre eles 10 alunos com deficiência, por meio de um questionário estruturado com questões sobre o conceito de saúde, ser saudável, curiosidades em saúde, religião e sexualidade. Os dados objetivos foram processados com o software Epi Info. Aplicou-se estatística descritiva com apresentação de frequências absolutas e relativas. Os aspectos éticos foram respeitados e a pesquisa apresenta anuência do Comitê de Ética. Após coleta, houve predominância do sexo feminino (69,90%), faixa etária dos alunos entre 11 e 17 anos e a religião católica (60,19%) foi a predominante. Dos alunos com deficiência, oito tinham deficiência intelectual, um com síndrome de Down e um com baixa visão. Sobre os riscos em saúde, 50,49% não praticam nenhum exercício físico, e 82,52% relataram não ter ingerido bebida alcóolica, inclusive os alunos com deficiência em sua totalidade. Sobre o conceito de saúde, 82,52% a entendem como um completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas como a ausência de doenças. A internet foi o meio de propagação mais utilizado para divulgação dos assuntos em saúde, contabilizando 49,51% das respostas, seguidos da televisão com 33,01%. Para os alunos com deficiência foi a televisão. Sobre as temáticas que despertam mais curiosidade nos alunos, pode-se citar: as Infecções Sexualmente Transmissíveis (23,30%), sexualidade e métodos contraceptivos (14,56%), álcool e drogas (13,59%) e obesidade (17,485%). Sobre o repasse das informações, panfletos (52,43%) e palestras (43,69%) foram as mais escolhidas pelos alunos. Sobre sexualidade, 51,46% dos alunos marcaram que não namoraram, e uma maioria significante de 90,29% dos alunos, afirmaram não ter relação sexual. Os alunos com deficiência apresentaram resultados semelhantes. Com os resultados obtidos torna-se possível auxiliar os adolescentes com e sem deficiência a intervir em suas reais necessidades, os estimulando na adoção de medidas saudáveis, ampliando o conceito de saúde e proporcionando maior empoderamento. A escola, em aproximação com os serviços de saúde, se torna uma grande aliada para a promoção da saúde com práticas educativas, construindo espaços para divulgação de informação, trocas de experiência, esclarecimento de dúvidas, com intuito de que os adolescentes se tornem cada vez mais capazes de tomar decisões conscientes.
Description: NOGUEIRA, Talita da Silva. Demandas em saúde de escolares com e sem deficiência em Redenção no Ceará. 2017. 28 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira, Redenção, 2017.
URI: https://repositorio.unilab.edu.br/jspui/handle/123456789/1020
Appears in Collections:Artigo - Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_art_tsnogueira.pdf2017_art_tsnogueira.pdf146,89 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.