Please use this identifier to cite or link to this item: repositorio.unilab.edu.br/jspui/handle/123456789/419
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorVieira, José Danisio Silva-
dc.date.accessioned2017-02-02T17:18:30Z-
dc.date.available2017-02-02T17:18:30Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.citationVIEIRA, J. D. S. (2016)pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unilab.edu.br/jspui/handle/123456789/419-
dc.descriptionVIEIRA, José Danisio Silva. Oferta e demanda de produtos hortícolas orgânicos no mercado de Fortaleza-CE. 2016. 101 f. TCC (Graduação) - Curso de Agronomia, Instituto de Desenvolvimento Rural, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira, Redenção-Ceara, 2016pt_BR
dc.description.abstractA alimentação de qualidade nos dias de hoje é mais que uma simples escolha, na verdade, é uma necessidade de todos. No decorrer dos últimos anos foram diagnosticadas diversas doenças que tem relação direta com nossos hábitos alimentares. Em virtude disso, é preciso cada vez mais a inserção no mercado de produtos sem uso de químicos em seu processo de produção. Com base no exposto objetivou-se nesse trabalho estudar a demanda e oferta localizada dos produtos hortícolas orgânicos no mercado de Fortaleza, Ceará, ouvindo seus agentes, bem como as tendências e oportunidades deste mercado. A metodologia utilizada foi uma pesquisa de campo ou survey (pesquisa quantitativa com delineamento Survey (Levantamento), onde foram aplicados questionários com agentes de mercado de produtos orgânicos. A pesquisa é do tipo descritiva, explicativa e exploratória. Os dados foram coletados e sua organização foram utilizados analises estatísticas descritivas. O total da oferta média geral por semana é superior à demanda, independentemente dos produtos hortícolas estudadas. As frutas, de modo geral, são as que apresentam a maior oferta média semanal. No que diz respeito às categorias dos agentes de mercado estudadas, os varejistas especializados disponibilizam a maior oferta média geral dos produtos, enquanto os supermercados a menor. O rabanete, a laranja lima, a batata baroa e o gengibre são os produtos orgânicos que apresentam as maiores perdas (oferta não vendida) semanais, totalizando 36%, 28%, 25% e 25%, respectivamente. Os feirantes não conseguem vender 20% de sua oferta de folhosas e 70% de tubérculos orgânicos por semana. Por outro lado, os supermercados também não vendem 8% das frutas, 30% das hortaliças-raízes e 40% dos produtos classificados no grupo de hortaliças-fruto. Os produtos orgânicos comercializados que apresentam as maiores variações de preços são: manga, cebolinha, coentro, alho porró, melancia, pimenta de cheiro, tomate cereja, batata doce e gengibre. Os varejistas especializados apresentam os maiores preços, de modo geral, dos produtos orgânicos comercializados. Por fim conclui-se que a lógica da comercialização orgânica em Fortaleza é a mesma exercida nos produtos convencionais, ou seja, o parâmetro é estabelecido de acordo com a relação oferta/demanda.pt_BR
dc.languagePortuguês (Brasil )pt_BR
dc.subjectAgricultura orgânicapt_BR
dc.subjectProdutos hortícolaspt_BR
dc.subjectFortaleza/CEpt_BR
dc.titleOferta e demanda de produto hortícolas orgânicos no mercado de Fortaleza-CEpt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
Appears in Collections:Monografia - Agronomia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
José Danisio Silva Vieira.pdf1,33 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.